Categorias
Busca

Quem acompanha o #DiárioSkope no facebook viu que o Magno passou alguns dias em Bali na Indonésia. A grande maioria da população balinesa é de religião hindu, com influência budista, eles são tão religiosos que a ilha passou a ser chamada de Ilha dos Mil Templos. É impossível não comparar as construções balinesas com os famosos pagodes chineses. Além da aparência, as construções têm uma outra característica bem importante em comum: são, em sua maioria, construídas com madeira.

A técnica se caracteriza principalmente pelo uso de grandes vigas estruturais que fornecem o suporte primário do telhado do edifício. Vigas de madeira, normalmente grandes troncos, são usados como colunas, para suportar cargas, e vigas laterais que emolduram os prédios e sustentam os telhados. Estas vigas e colunas estruturais são exibidas com destaque sempre que economicamente possível.

Na era do aço e do concreto, templos como esses são um lembrete da longa história da madeira como material de construção. Novas técnicas mostram que a madeira pode hoje ser usada para a construção de edifícios ainda mais altos. Alguns deles, inclusive, já foram erguidos em cidades ao redor do mundo.

A madeira tem muitos atrativos como material de construção, além de suas qualidades estéticas. Um prédio de madeira tem quase um quarto do peso de uma estrutura equivalente em concreto reforçado. A madeira é um material sustentável e um “depósito” natural de CO2. As árvores absorveram o carbono da atmosfera, que fica então armazenado dentro da estrutura do edifício.

O principal desafio em projetar construções com madeira, é garantir que elas sejam resistentes. Nos últimos anos, grandes avanços de engenharia têm sido feitos com madeira manufaturada. Um deles é a madeira laminada-colada-cruzada (em inglês Cross Laminated Timber – CLT), feita a partir de camadas de madeira coladas com suas fibras justapostas em ângulos retos. A CLT torna as estruturas muito mais rígidas e já vem sendo aplicada em construções de grande porte.

Atualmente a maior delas é o Brock Commons Tallwood House. O edifício da moradia estudantil da University of British Columbia, recentemente concluído em Vancouver, tem 18 andares e é considerado um marco na história do desenvolvimento das cidades. Alcançando uma altura de 53 metros, o edifício pode abrigar até 404 alunos e compreende uma mistura de unidades de quartos ou estúdios, espaços de estudo e convívio, e um lounge para os estudantes na cobertura.

O recente desenvolvimento tecnológico certamente permite que processos e materiais de construção sejam mais eficientes. Cada vez mais engenheiros tem optado pela construção em madeira em vez de concreto e aço, também por causa da crescente conscientização à respeito das questões climáticas.

Vários projetos de construção massiva em madeira já estão em andamento em todo o mundo. Em breve, Vancouver vai ganhar outra construção imponente projetada com estruturas hibridas. O Terrace House, projetado pelo escritório de Shigeru Ban, será mais alto que o Brock Commons, e vai ser o próximo projeto intitulado como a construção híbrida em madeira mais alta do mundo. Confira alguns detalhes do projeto do Brock Commons Tallwood House apresentados nesse vídeo:

O Canadá é um dos países pioneiros na utilização de técnicas sustentáveis para o desenvolvimento de suas cidades. No programa de intercâmbio com dupla certificação da Skope, os alunos combinam as aulas de inglês com tours, workshops e atividades focadas em Engenharia. Ainda dá tempo de embarcar com a turma de inverno m Janeiro de 2018, não fique de fora dessa, clique aqui para se inscrever.